alguém viu os meus pais?

perdido na Funda…

Despedida lingerie

A São tocou o badalo a rebate. Era preciso apoiar o George Coast.

O pessoal da Tuna Meliches juntou-se e alguns amigos acorreram ao evento para carpir ruidosamente em comunidade. Desta forma, espantaríamos o desalento do George.

Mas a cura não estava apenas no carpir ruidosamente. Um outro quesito para animar alguém é sentar à mesa – neste caso de um restaurante – e desfrutar uma bela refeição.

Ling 1

A refeição foi feita a pensar no masculino e no feminino. Os homens começaram pela bela mama e a dar-lhe com o salpicão. As mulheres optaram por juntar manteiga.

Pouco depois, chegou a altura de chamar a primeira artista da noite: Vicky. Lembrei-me logo do que eu gostava de ver aqueles desenhos animados. Ei, Ei, Vickie! Ei, Vickie, Ei!

Qual vicking, ela entrou decidida a quebrar o gelo (se é que havia…) e mostrar que, a partir dali, tudo podíamos esperar. Chegou-se à minha adoptante, sentou-se no colo e guiou-lhe as mãos pelo seu corpo. A música não era a do Vickie, era With arms wide open, dos Creed. Quando saíu, ainda lhe abri os braços, mas ela tinha que abandonar a sala para entrar um artista para alegrar as hostes femininas. Era um marinheiro que as fez delirar, apesar das tentativas de boicote por parte dos homens.

Ling 2

O pessoal estava com espírito e novos talentos do strip começaram a revelar-se.

Ling 3

As verdadeiras artistas iam espalhando a roupa pela sala à medida que se despiam. Os espectadores exibiam os brindes como troféus.

Ling 4

O entusiasmo levou algum pessoal a exceder-se. Subir às mesas não me pareceu nada sensato num restaurante…

Ling 5

Era de esperar… Tanta emoção obrigou o George a deitar-se na mesa para se voltar a equilibrar. Ele dizia que gostava de uma música dos U2 (Where the streets have no name), mas, entre diversos Ai meu Deus!, acho que o ouvi a trautear uma música dos Xutos & Pontapés: Ai se ele cai. Depois de tal susto, acho que ele se vai dedicar mais à leitura…

Ling 6

Depois de tanta emoção, era altura para retemperar forças com um bolo feito com muita dedicação pela Celeste. Os morangos foram muito solicitados…

Ling 7

Antes das primeiras despedidas, ainda deu tempo para tirar uma foto de grupo. A noite acabou no Casino da Póvoa a saborear uma Cuba Libre.

Março 9, 2007 Posted by | Encontros | 6 comentários

5º encontro da funda São

Cheguei sem saber bem ao que ia

A uma sala onde muita gente convivia

Entre camisolas separei-me da companhia

E fiquei sem saber o que fazia

 

Do meu cordão vi-me separado

Só queria ser encontrado

A São viu-me abandonado

Deve ter pensado: ai o coitado! (em alternativa: está todo cagado!)

 

À cabine de som me levou

Este é o Nuno, exclamou

E questionou aos demais

Onde estariam os meus pais

 

Quem se vai fartar de rir com a qualidade destas quadras são os artistas do Sãorau, esses sim, verdadeiros escritores e poetas. Desculpem tudo: a métrica, o ritmo, o sistema de rimas, enfim… a merda de quadras que acabam de ler. Mas elas  espelham um pouco do que foi para mim o primeiro encontro com o pessoal da Funda São.

Gostei de conhecer novas pessoas, aprofundar conhecimentos com pessoas que já conhecia antes e de toda a actividade CUltural: declamação de poemas, teatro (embora fosse um ensaio), da voz da Luísa nos poemas do OrCa e da Encandescente, do coneto do Fernando, e, finalmente, do Karalhoke (em especial da música de Natal).

Embora aínda não tenha tido tempo de estrear, quero agradecer as ofertas da Erosfarma. O lápis é que acho que nem vou ter oportunidade de o usar, é que deixei-o em casa quando fui trabalhar e sinceramente não sei onde é que a mulher a dias o meteu… Também não podia deixar de agradecer a útil caixa de banha da cobra que me foi oferecida.

Como hoje já é tarde não tenho tempo para publicar umas fotos do Sãorau, mas aqui fica o compromisso de o fazer em breve. O vício dos blogs já está a instalado mas espero não me perder muitas vezes como hoje (são 4:39)…

Para acabar queria agradecer o final feliz proporcionado pela minha companhia.

Junho 27, 2006 Posted by | Encontros | 5 comentários